Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Silicose

      A silicose é causada por inalação de poeira de sílica livre cristalina (quartzo). Caracteriza-se por um processo de fibrose, com formação de nódulos isolados nos estágios iniciais e nódulos conglomerados e disfunção respiratória nos estágios avançados. Atinte trabalhadores de vários ramos produtivos: como jateamento, fabricação de cerâmica, azulejos, pisos, mineração subterrênea e a céu aberto, fundição de ferro aço e minerais entre outras
      A silicose é causada por inalação de poeira de sílica livre cristalina (quartzo). Caracteriza-se por um processo de fibrose, com formação de nódulos isolados nos estágios iniciais e nódulos conglomerados e disfunção respiratória nos estágios avançados (1,2,3,4,5). Atinge trabalhadores inseridos em diversos ramos produtivos como:
  • Indústria extrativa (mineração subterrânea e a céu aberto, perfuração de rochas e outras atividades de extração, como pedreiras e beneficiamento de minérios e rochas que contenham o mineral);
  • Fundição de ferro, aço ou outros metais onde se utilizam moldes de areia;
  • Cerâmicas onde se fabricam pisos, azulejos, louças sanitárias, louças domésticas e outros;
  • Produção e uso de tijolos refratários (construção e manutenção de alto fornos);
  • Fabricação de vidros (tanto na preparação como também no uso de jateamento de areia usado para opacificação ou trabalhos decorativos);
  • Perfuração de rochas na construção de túneis, barragem e estradas;
  • Moagem de quartzo e outras pedras contendo sílica livre e cristalina;
  • Jateamento de areia (utilizado na indústria naval, na opacificação de vidros, na fundição, polimento de peças na industria metalúrgica e polimento de peças ornamentais);
  • Execução de trabalho em marmorial com granito, ardósia e outras pedras decorativas.
  • Fabricação de material abrasivo.
  • Escavação de poços.
  • É importante destacarmos a Construção Civil, onde os trabalhadores podem estar expostos a grande quantidade de poeiras finas de sílica em operações como talhar, utilizar marteletes, perfurar, cortar, moer, serrar, movimentar materiais e carga, trabalho de pedreiro, demolição, jato abrasivo de concreto (mesmo se a areia não for usada como abrasivo), varredura a seco, limpeza de concreto ou alvenaria com ar comprimido.

Jateamento por areia


Trabalho em minas

      Para se ter idéia, em 1988, constatou-se um foco da doença na região da Ibiapaba no Ceará (Brasil) entre cavadores de poços. Dos 1.202 cavadores de poços da região, 687 de cinco municípios selecionados para o estudo foram submetidos à IEPP (Educação Preventiva Educativa Primária) e, destes, 283 participaram do estudo do papel da IEPP no controle da silicose. Todos eram homens, com idades variando de 18 a 78 anos; 115 eram silicóticos, 122 não silicóticos e 46 ignoravam o diagnóstico (1).
Os cavadores adoeciam porque inalavam poeira com conteúdo de 97,4% de sílica, uma concentração no ambiente de trabalho que ultrapassava em até 344 vezes o limite de tolerância permitido pelas leis trabalhistas brasileiras (1).

 
Referência bibliográfica:

 
1.ALCÂNTARA, Marcia Alcântara, et al. Silicose em cavadores de poços da região da Ibiapaba (CE): da descoberta ao controle. Disponível em: Acessado em 27 de Març. 2009.
2.CASTRO, Hermano Albuquerque de; SILVA, Carolina Gimenes da; VICENTIN, Genésio. Estudo das internações hospitalares por pneumoconioses no Brasil, 1984-2003. Rev. bras. epidemiol, São Paulo, v. 8, n. 2, June 2005 Disponível em: . Acesso em: 27 Mar. 2009. doi: 10.1590/S1415-790X2005000200007.
3.MARTINS, Sérgio Pinto. CLT Universitária. 9ª Ed. São Paulo-SP. Atlas. 2009. 
4.MENDES, René. Asbesto (amianto) e doença: revisão do conhecimento científico e fundamentação para uma urgente mudança da atual política brasileira sobre a questão. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 17, n. 1, Feb. 2001 . Disponível em: . Acesso em: 27 Mar. 2009. doi: 10.1590/S0102-311X2001000100002.
5.MENDES, René. Atualizaçäo sobre doenças respiratórias ocupacionais: silicose. 14 (56):19-27,out.-dez.1986. Rev. bras. saúde ocup. Disponível em:< http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=LILACS&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=40281&indexSearch=ID> Acesso em 24 Mar. 2009.

 
Valéria Araújo Cavalcante
publicado:http://www.webartigos.com/articles/30638/1/silicose/pagina1.html
Share |